Seminário Internacional O Brasil e a Guerra Fria na América Latina: Novas Fontes e Interpretações
FGV, 12º Andar - Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - 27/09/2010 - 00:00 - 28/09/2010 - 00:00

Centro de Relações Internacionais, CPDOC – FGV

IDEAS – London School of Economics and Political Science (LSE)

Rio de Janeiro, 27 e 28 de Setembro, 2010.
 

O estudo da Guerra Fria vem dando ênfase crescente para perspectivas não-tradicionais. Sem ignorar a centralidade dos eventos na Europa e no Atlântico Norte, a literatura especializada sobre o tema volta-se cada vez mais para os aspectos globais do conflito. A nova história sobre a Guerra Fria tem produzido narrativas descentralizadas que examinam as conexões interativas entre fenômenos globais, nacionais, regionais e locais. Boa parte dessa recente produção ressalta a importância do “Sul global” ou da “periferia” na compreensão do sistema internacional da época.

Esta conferência tem por objetivo promover o debate sobre a Guerra Fria no Brasil e na América Latina. Para isso, busca trabalhos que tenham por base o uso de novas fontes primárias, tais como arquivos inéditos ou ainda pouco explorados, memórias de atores centrais daquele período, e depoimentos de história oral. A Guerra Fria na América Latina deve ser vista como uma ilustração regional de um fenômeno global ou constitui um fenômeno com características próprias? De que modo as populações em diferentes países da região perceberam a Guerra Fria e o seu fim? Quais os mecanismos pelos quais a Guerra Fria global foi “internalizada” nos países da região? Qual foi o impacto da Guerra Fria na formação do conceito de “América Latina” e nas relações internacionais da região? E de que maneira desenvolvimentos locais ou nacionais impactaram a trajetória global da Guerra Fria?

Com essas questões em mente, o caso do Brasil é particularmente intrigante. De que maneira a Guerra Fria global ajudou a moldar a vida social e política do Brasil? Quais são as conexões entre a Guerra Fria e os ciclos de democracia, ditadura e modernização? Qual foi o papel do Brasil nas batalhas da Guerra Fria na América do Sul? Por que uma ditadura militar anticomunista não produziu uma aliança estreita e sustentada com os Estados Unidos, e por que apoiou movimentos marxistas na África? De que forma as revoluções globais de 1968, 1979 e 1989 se manifestaram no contexto brasileiro? Juntando pesquisadores de diversos países, esta conferência busca elucidar as formas em que o estudo da Guerra Fria no Brasil pode alimentar pesquisas sobre a Guerra Fria global.

O Programa de América Latina do LSE IDEAS e o Centro de Relações Internacionais do CPDOC da Fundação Getulio Vargas patrocinam esta conferência internacional no Rio de Janeiro em 27 e 28 de Setembro de 2010. Parte do financiamento para esta iniciativa vem da generosa contribuição da British Academy. Os organizadores planejam publicar os resultados do encontro em um volume editado, além de edições especiais de periódicos dedicados ao tema.

Propostas de trabalho (500-1000 palavras) podem ser enviadas em português, espanhol ou inglês para ideas.latinamerica@lse.ac.uk até 12 de abril de 2010. Os organizadores estão particularmente interessados em trabalhos que lidam com as dinâmicas das relações entre e dentro dos países da América Latina durante a Guerra Fria, e particularmente aqueles que lançam mão de fontes de pesquisa inéditas ou pouco utilizadas.

Haverá alguma ajuda de custo para passagens internacionais.

Galeria de Fotos

Copyright © 2014 CPDOC